Nosso Blog

Quais são os principais tipos e características do empreendedorismo brasileiro?

incentivo ao empreendedorismo

O Brasil está passando por um momento interessante para os empresários. Os brasileiros são encorajados a abraçar o empreendedorismo, independentemente das circunstâncias econômicas. 

E este pode ser o momento certo. Segundo Joseph Schumpeter, economista e fundador da teoria Schumpeteriana de crescimento econômico (um modelo que utiliza quatro partes do modelo de crescimento macroeconômico Schumpeteriano), os países capitalistas passam por um período de boom, recessão, depressão e depois recuperação. 

O Brasil mostra sinais de entrar nessa fase de recuperação, após alguns anos de recessão e depressão. Isto cria um ambiente econômico favorável. O ambiente macroeconômico, por si só, não é suficiente para estimular o crescimento. 

Diante da relevância do tema, preparamos um post completo para entender. Veja os tópicos que vamos abordar:

  • O que é empreendedorismo?
  • O que é ser empreendedor?
  • Quais são os principais tipos de empreendedorismo?
  • O empreendedorismo é limitado a um tipo?
  • Qual é o requisito mínimo para que um empresário seja bem-sucedido?

Continue com a leitura e aprofunde seus conhecimentos!

O que é empreendedorismo?

Empreendedorismo é a capacidade de criar e implementar novos negócios ou inovar, explorando novos mercados em empresas já consolidadas. Os empreendedores mobilizam e gerenciam recursos para gerar algum tipo de valor.

Estes recursos poderiam incluir dinheiro, matéria-prima, mão-de-obra ou maquinaria.

Você pode gerar valor produzindo um produto, ou prestando um serviço. O trabalho de uma ou mais pessoas é o que cria valor.

Uma pessoa que deseja iniciar um negócio de fabricação de móveis vai precisar de recursos como ferramentas, máquinas e pessoas.

Os móveis são o valor criado por estes, e será vendido ao cliente a um custo que cobre todas as despesas do empresário, deixando um pouco de lucro.

Considere um programador que inicia uma empresa fornecendo soluções de tecnologia da informação.

É possível mobilizar outros programadores e gerar valor criando códigos de acordo com as exigências do cliente.

Vale destacar que o lucro não é uma regra do empreendedor.

O que é ser empreendedor?

empreendedorismo_feminino

Neste momento que você já sabe o que é empreendedorismo é preciso saber agora o que é ser um verdadeiro empreendedor

Uma definição de empreendedor seria alguém que inicia algo novo, vê oportunidades que ninguém vê, ou em outras palavras, alguém que sai de sua zona de conforto e área de sonhos e entra em ação. Um empreendedor é alguém que põe em prática ideias criativas. 

Pessoas que podem transformar crises em oportunidades, e que inspiram outras pessoas com suas ideias, são muitas vezes chamadas de empreendedores. E estes, são muitas vezes empreendedores bem-sucedidos. 

Os brasileiros são conhecidos por sua capacidade de capitalizar as oportunidades do mercado e fazer com que as crises funcionem a favor deles. “Dados do relatório Empreendedorismo de 2019 no Brasil” mostram que há um aumento no número de pessoas que estão dispostas a assumir oportunidades

Aliás, de acordo com esses dados, 26,2% se propuseram a iniciar seus próprios negócios de modo a “fazer com que as coisas corram bem devido a empregos limitados” enquanto 1,6%, quiseram “fazer do mundo um lugar melhor”.

O ano de 2020 viu muitas mudanças. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor, o GEM que foi realizada com o Sebrae. O país teve uma taxa recorde de empreendedorismo e o número mais alto em 20 anos. 

Devido à pandemia, que exigiu distanciamento social para se reconstruir, os empresários tiveram que contar com a internet para sustentar seus negócios. 

Dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) mostram que houve um aumento de 50% no uso da Internet durante este período. Além disso, o número de microempresários registrados aumentou. 

Entre março de 2020 e dezembro de 2020, foram realizadas 1,49 milhões de formalizações. Isto se soma aos 7,5 milhões de micro e pequenas empresas que representam 27% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e/ou serviços produzidos do país.

Quais são os principais tipos de empreendedorismo?

empreendedorismo antes da pandemia

Nem todos os métodos de empreendedorismo podem ser descritos como os mesmos. O fundador de uma empresa iniciante e um proprietário do MEI são todos empreendedores. No entanto, seus caminhos empreendedores podem ser diferentes.

Estes são os principais modos de empreendedorismo. Veja qual deles se encaixa melhor com você!

1. Empreendedorismo individual

A Lei que regulamentou a atividade do Microempreendedor individual (MEI), tornou o empreendedor individual conhecido. Esta possibilidade já estava disponível há algum tempo através da forma de formalização conhecida como Empresa Individual (EI). Até recentemente, a modalidade Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI) também estava vigente.

Após a criação da Lei 14.195/21 que estabeleceu o fim das Empresas Individuais de Responsabilidade Limitada (EIRELI),

As empresas que já são EIRELI, serão transformadas automaticamente em Sociedade Limitada Unipessoal (SLU).

A SLU foi criada por meio da Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 881/19). Entre as características dessa nova categoria, destacamos: não é obrigatório ter um sócio na abertura; não é exigido valor mínimo de capital social; separação do patrimônio pessoal do empreendedor do patrimônio da empresa.

Dois tipos distintos podem ser extraídos deste tipo de empresário. Alguns optam pela MEI. No entanto, há também outros que estabeleceram negócios sólidos e tudo o que precisam para crescer.

Por exemplo, os membros da SLU se enquadram nesta categoria. Mas isso não significa que os Sociedade Limitada Unipessoal não possam crescer e desenvolver seus negócios a ponto de precisar mudar a forma de incorporação para algo mais robusto com menos limites.

Leia também: Todo empreendedor deve estar ciente destas dicas fiscais!

2. Empreendedorismo informal

Um empresário informal pode ser descrito como um profissional que tem renda suficiente para sustentar seu sustento. Este campo está mais preocupado com a manutenção das necessidades básicas e menos com o crescimento de seus negócios.

Eles ainda podem ter sucesso neste campo e mudar da informalidade para o empreendedorismo formal.

Estes empreendedores enfrentam muitas dificuldades para manter seus negócios. Isto porque eles estão sob grande pressão das agências reguladoras para sair de sua informalidade e começar a operar legalmente.

3. Empreendedorismo de franquia

Algumas pessoas costumam dizer que os franqueados não podem ser considerados empresários. Entretanto, uma pessoa que toma a iniciativa e se arrisca em um negócio, mesmo que não seja sua própria ideia, pode e deve ser considerada empreendedora.

Essas pessoas frequentemente encontram uma necessidade e buscam negócios testados e criados. 

Elas também costumam receber as estratégias organizacionais e de marketing estabelecidas pelo franqueador, mas isso não as impede de procurar inovação em suas franquias. 

No entanto, o contrato de franquias podem levar os empreendedores a divulgar uma marca que não possui e ainda assim tomar decisões comerciais para o proprietário.

4. Empreendedorismo cooperativo

O empreendedorismo cooperativo, que se baseia na ideia da economia colaborativa e na qual os empresários individuais trabalham juntos, é um exemplo.

É um sistema de apoio no qual cada membro contribui com um serviço, ou material, para garantir que todos obtenham melhores resultados em seus empreendimentos.

A ideia principal é a de compartilhar informações e recursos. A administração deve ser democrática, com todos os funcionários trabalhando juntos para tomar decisões.

Enquanto todos trabalham juntos para o sucesso, cada pessoa é responsável por seus próprios objetivos.

5. Empreendedorismo social

Um empreendedor social é alguém que constrói um negócio que fornece um meio de sobrevivência e tem um viés para proporcionar benefícios para um número significativo de pessoas. Este tipo de negócio é popular entre os estudantes universitários.

Embora muitos empreendedores não ganhem muito dinheiro, pode ser uma ótima maneira de aprender como as empresas funcionam desde cedo e compreender seus maiores desafios.

Ao passo que estes empresários são normalmente ativos em uma área que o poder público não pode alcançar. Isto proporciona muitos benefícios para a população.

Esta é uma atividade incrivelmente nobre. Mesmo outras categorias de empreendedorismo utilizam partes dela para promover soluções que tornem possível mudar a realidade das pessoas ou comunidades vulneráveis.

6. Empreendedorismo digital

O Brasil está vivenciando um boom no empreendedorismo digital.

Refere-se a produtos e serviços viabilizados pelo meio digital. Isto inclui lojas online, provedores de conteúdo (bloggers e youtubers), infoprodutos e cursos e treinamentos online, bem como aplicativos como Uber, iFood e Rappi.

Este é o tipo de empreendimento que requer a menor quantidade de recursos financeiros, mas requer muito conhecimento tecnológico, assim como um bom entendimento do mercado. Se for bem feito, pode rapidamente se tornar um empreendimento muito lucrativo.

Se está começando a empreender, confira nosso artigo: 7 dicas de Gestão para empreendedores iniciantes.

O empreendedorismo é limitado a um tipo?

apoio-ao-empreendedor

Não é essencial seguir apenas um ou outro tipo de empreendedorismo. Isso não é possível. 

Além disso, a maioria dos empreendimentos no Brasil mistura vários tipos.

Ao oferecer seus serviços na Internet, um freelancer está usando o empreendedorismo digital e individual. 

Aliás, um projeto ambiental também pode ser empreendido por vários empresários, que trabalham juntos para combinar aspectos sociais e cooperativos.

Qual é o requisito mínimo para que um empresário seja bem-sucedido? 

É mais do que apenas conhecer os tipos de empreendedorismo. Para que os empresários tenham sucesso, eles precisam de um conjunto de características que facilitem o alcance de seus objetivos.

Por exemplo, é preciso estar automotivado quando confrontado por problemas e obstáculos. Você também precisa ter criatividade para enfrentar os desafios do empreendedorismo brasileiro.

Os empreendedores também devem ser técnicos. Eles precisam entender como manter sua empresa financeiramente em controle, como melhor posicionar sua empresa no mercado e como devem administrar as ações. Você pode obter estas informações através de cursos orientados aos empreendedores, ou através do auxílio de Assessoria especializada em descomplicar a rotina de empreendedores.

Além disso, a capacidade de venda é, no entanto, uma de suas habilidades técnicas mais importantes. O marketing, a organização de processos e agilidade são é essenciais para qualquer categoria de empreendedorismo.

Sem este conhecimento, a empresa não pode alcançar novos clientes, ou vender para gerar receitas estáveis.

É essencial dedicar tempo para estudar assuntos empresariais se você quiser que seu negócio tenha sucesso.

Seja qual for o tipo de empreendedorismo ou segmento de atuação da empresa, o início costuma ser bem complicado para a maioria dos empreendedores, principalmente no que diz respeito às burocracias de empreender no país.

O empreendedor costuma ser multi-tarefas porque tudo depende da ação dele para empresa crescer. Com o tempo, esse comportamento acaba sendo prejudicial para a empresa e para a saúde do empreendedor.

E foi por esse motivo que a SparkOne surgiu, para auxiliar empreendedores a descomplicar suas rotinas gerenciais e evitar que o empresário torne-se refém do próprio negócio. Fale Conosco e saiba mais!

O que você achou? Gostou do post? Deixe um comentário aqui compartilhando suas experiências ou dúvidas, irei adorar lhe responder!

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram